Para a malta que depois do artigo de hoje à tarde pensou “que é que lhe deu?” Foi feitiço um arzinho.

Para os que temiam que este blog se tornasse um braço político/partidário/ideológico/manifestante, descansem…nunca tal acontecerá por estas linhas.

Para os que tinham saudades das mundanidades do cerejal, tomem lá agora quatro ou cinco de rajada:

cerejas_em_calda

 

Cerejices #6

J – O que é aquilo mamã?

Eu – São vaquinhas que estão a ser ordenhadas. É assim que se tira o leite das vaquinhas.

L (no exacto momento em que a teta da vaca sai da máquina de ordenhar) – Pela pila.

EU NÃO ESTOU PREPARADA! EU NÃO ESTOU PREPARADA! EU NÃO ESTOU PREPARADA!

 

Cerejices #7

L – Mãe! Mamã!

silêncio

L – Carla! Alexandra!

Se ela sabe o que me chamavam na escola, estou tramada.

 

Cerejices #8

Eu (a cantar os meninos do Huambo do Paulo de Carvalho) – Os meninos à volta da…

J – …mesa

Eu – Vão aprender coisas de…

J – …sonho

Eu – …e de verdade. Vão aprender como se faz uma…

J – …casa

Tio David, fáxavor de contratar a tua sobrinha J para criar umas “lyrics” para as tuas composições.

 

Cerejices #9

Eu – L podias fazer um favor à mamã? Podes ir buscar os chinelos da mana à sala?

L – Ó pá, agora não posso, tou ocupada.

Resolvida, a garota.

 

 

Até amanhã (e agora acrescentava camaradas e vocês voltavam a tremer, ahahahha…sou tão croma)