Category: Cerejices

Da idade dos porquês L – Porque é que os cães estão sempre a abanar a cauda?   Google!!!!!!!!!!!!!! J – Porque estás sempre com sono quando nos deitas?   É da idade! Da morte e outros mistérios Vimos o

Ler mais

Cheguei à conclusão que não fui feita para isto. Deixei passar em branco todas aquelas datas festivas que uma pessoa que tem um blog nunca devia menosprezar. Ele foi o dia do pai, o início da primavera, a Páscoa, o

Ler mais

Não sei bem descrever por palavras o que quer dizer ter uma filha sensível. Ela é muito mais intuitiva que eu e ligada às coisas e pessoas. É muito menos despachada que a irmã, mas é muito mais atenta. Ter

Ler mais

É uma palavra que uso com alguma frequência para classificar uma das minhas filhas.  Diz que é rapariga travessa, tagarela, irrequieta, espevitada, metediça… Exemplos:   L – O que está escrito nestas cuecas? Eu – O meu coração está cheio

Ler mais

Sobre meter a mãe no lugar: L – Podes abrir isto? Eu – Vais ter que esperar que eu estou a comer. L (esperou alguns segundos e depois argumentou) – Mas tu estás a comer com a boca, não é

Ler mais

O que me mete nervos nos meus filhos Quanto tiram macacos do nariz e os metem na boca Quando saem da mesa sem perguntar Quando comem de boca aberta Quando gritam no meio do café “mamã, quero ir fazer cócóóóó!!!”

Ler mais

Um dia perguntaram-me “tu eras meninas do papá, não eras?”. Foi um amigo que me ouvia falar do meu pai, muitos anos depois de ter morrido, depois de a filha dele ter ficado sem mãe e de ele me confessar

Ler mais

Do ouvido musical: De manhã, ouvimos a rádio comercial quando o pai cerejo não vai e a antena 1 quando o carro vai cheio. Estava a dar esta música. L – Mamã, esta música está a dizer assi: “Quero ir

Ler mais

por_do_sol

Das conclusões evidentes: L – Papá, onde é que aprendeste a cozinhar? Foi no masterchef?   Ahahahah…o masterchef de quem vai viver sozinho 😉   Na hora do almoço, com o cerejal cheio de fome e todos a pedirem comida:

Ler mais

Da capacidade de argumentação Elas estavam a brincar e a conversar, julgava eu. Mas quando o tom me pareceu um pouco mais engalfinhado, fiquei atenta à conversa e registei esta parte: L – Tu não comes carne como eu, não

Ler mais

%d bloggers like this: