Mamã cereja:
mãe de gémeas mais um, nos quarenta…mas que ninguém lhos dá
(não fossem os 334 mil cabelos brancos)

 

Apresentação em jeito de Alta Definição:

Sou a Carla e estou aqui sem maquilhagem. Gosto de cerejas. Gosto muito de melancia e pêssegos. Não gosto de mão de vaca e arroz na sopa. Gosto de viajar. Não gosto de não poder viajar. Gosto muito de café. Não gosto de ficar com dor de cabeça por não beber café. Gosto do meu sinal na orelha direita. Não gosto das estrias na barriga. Gosto de moscatel. Gosto de acordar cedo. Gosto de pessoas. Não gosto de insectos. Não gosto de ter alergia a gatos. Não gosto de chuva. Gosto de praia e campo e montanha. Não gosto de andar de carro em serras. Gosto de saias. Gosto de brincos e pulseiras. Não gosto de saltos altos. Gosto de séries de médicos na tv. Gosto de programas de talento. Não gosto de novelas. Não gosto do Henrique está com fome. Gosto de cinema. Não gosto do preço dos bilhetes de cinema. Gosto de cinema francês e italiano. Não gosto do meu nome. Gosto que me chamem pelo nome. Gosto de chamuças. Não gosto de caril mal feito. Gosto de encontrar amigos. Gosto de lhes fazer perguntas. Gosto de passar o tempo a rir com os amigos. Não gosto de gente dissimulada. Não gosto de sorrisos amarelos. Gosto de espaço. Não gosto de pessoas que me tocam nas costas nas filas de espera. Gosto de dizer bom dia. Não gosto quando não me respondem. Gosto de ter filhos. Não gosto de ter estado tanto tempo a tentar ter filhos. Gosto de ter o cabelo comprido. Gosto de franjas. Não gosto de madeixas. Gosto de lojas pequenas. Gosto de sítios calmos. Gosto de blocos e cadernos. Não gosto de nunca encontrar papel e caneta. Gosto de passar a ferro. Não gosto de limpar o pó. Gosto de escrever. Gosto de ler. Gosto que falem do que escrevo. Não gosto de corar. Não gosto de ficar sem palavras. Gosto de chorar emocionada. Não gosto de chorar de desgosto. Gosto de fazer as pessoas felizes. Gosto de rir. Gosto de sorrir. Gosto de sentir borboletas na barriga. Gosto de amar.

 

Apresentação em jeito de mães de gémeos anónimas:

Olá, sou a Carla e sou mãe de gémeas há quatro anos. Tudo começou em 2010, era Outuno e não tinha o período há uma semana. Fiz o teste e deu positivo. Uma semana e meia depois fazia a primeira ecografia e nesse dia soube que ia ser mãe de gémeos. A partir daí não conseguia tirar isso da minha cabeça, via gémeos em todo o lado, ouvia falar de gémeos a toda a hora. Às vezes, ia na rua e ficava a olhar para as crianças que pareciam ser gémeos, olhava, olhava e sorria; olhava para aquelas mães, elas percebiam-me, sabiam o que eu sentia. Em Maio de 2011, tornei-me mãe de gémeas dependente e nunca mais fui igual. Parece que tenho um sexto sentido para gémeos, vejo mães de gémeos muitas vezes, anseio pelo encontro anual, quase que fico com tremores quando não tenho uma mãe de gémeos para ajudar, procuro notícias sobre gémeos, guias de parentalidade para gémeos. Já estou melhor. Agora já não sou só mãe de gémeas. Sou mãe de gémeas mais um.