Das conclusões evidentes:

L – Papá, onde é que aprendeste a cozinhar? Foi no masterchef?

 

Ahahahah…o masterchef de quem vai viver sozinho 😉

 

Na hora do almoço, com o cerejal cheio de fome e todos a pedirem comida:

Eu – Calma, não consigo servir as duas ao mesmo tempo.

L – Só se fosses um polvo!

 

Bem visto, miúda…se bem que às vezes já me sinto uma espécie  de polvo…


Dos conceitos

Ao fim de um dia em que ficou em casa com a avó, porque teve febre:

J – Mamã, eu queria ter ficado em casa com alguém da minha família.

Eu – Mas a avó é da tua família.

J – Alguém da minha família que mora nesta casa.

 

Deixou-me a pensar…o que significa o conceito de família para cada um de nós?

 

L – Sabes que o FM quando voltámos à escola depois das férias, estava no baloiço e depois quando eu cheguei, disse-me assim “Ó Laura, estás bonita!”

Eu – E tu, coraste?

L – Não. Disse “pois estou”,

Eu – Mas devias ter dito obrigada, foi um elogio. Para a próxima vez pensa nisso.

Ficou uns segundos calada.

L – Sabes que agora o FM e eu já não somos amigos?

Eu – Oh, então, o que aconteceu?

L – Somos namorados. E às vezes o M. Nós estamos apaixonados.

Eu – Uhm…(juro que não sei bem o que dizer…só faço perguntas, a ver se os conceitos são mesmo os verdadeiros, mas afinal são só cheios de ternura)

J – O M também é meu namorado.

L – Não, não, ele desistiu-te!

 

Ai o caneco, prevejo umas cenas de ciumeira para o futuro ou quê?