É oficial. Fui apanhada pelo síndrome de mãe que vai ver uma prova das filhas e fica brutalmente emocionada e inchadinha de orgulho até ao tutano!

Faço, desde há dois meses parte do clube de pais que fica na bancada a ver a prestação dos filhos numa actividade extra-curricular. Membro daquele grupo de mães (e pais) que se desmembra em organização da agenda, das boleias, das mochilas, do calendário, do equipamento para a sua filharada ter uma actividade extra-curricular.

Digam lá a verdade: tenho ou não tenho razões para ter deixado o pavilhão todo coberto com a minha baba??? Elas estavam tão felizes, isso é que importa!

(e agora a minha opinião sobre actividades extra-curriculares para duas crianças de seis anos, mais propriamente, as cerejinhas: decidimos que só havia lugar a actividade quando entrassem no ensino público, porque as actividades não são de borla e o dinheiro não estica; escolhemos uma física para compensar a diminuição de actividade física que iriam ter a partir da entrada na escola primária, demos a escolher várias possibilidades com a permissa de que iriam experimentar para ver se gostavam e, caso quisessem, não podiam desistir. As amigas I e R – madrinhas da ginástica!!! — deram-lhes de prenda de aniversário bilhetes para o sarau de ginástica da Académica e foi o clique para o sim, para se inspirarem a fazerem parte da Secção de Ginástica da Associação Académica de Coimbra…em boa verdade, a cerejinha L sempre quis, e eu também, porque ela dava mortais no sofá e achei que era melhor ela ir aprender a fazer aquilo bem; a cerejinha J precisava de ganhar músculo e força nas canetas, como se costuma dizer. Sugerimos também natação, patinagem ou básquete…ganhou a ginástica. Eu no fundo fiquei muito contentinha, porque tenho muitas amigas com os filhos lá e haver assim uma rede de contactos ajuda muito, e eu era daquelas miúdas que passava as tardes de sábado a ver ginástica ou patinagem na rtp2)

(o moranguito não tem actividades extra, tem aquelas que a creche e, futuramente, o jardim-de-infância têm em contexto interno…só vai ter direito quando for para a primária. Se calhar vai ser ginasta também, mas se quiser escolher futebol, tem que ser no mínimo parecido com o Cristianinho que eu quero reformar-me cedo, e para aguentar ser uma mãe espectadora na bancada a ver jogos da bola, só mesmo com essa garantia)

(há muitas vozes contra as actividades extra-curriculares e que cansam as crianças, e blábláblá e mais não sei o quê… Ora, a minha opinião é: se os miúdos gostam, só lhes faz bem. Talvez ache que apenas uma actividade chega bem, mas cada um sabe de si e da sua família. O que eu tenho percebido nestes dois meses de Ginástica, é que para além da preparação física, ficam com muita preparação para a vida, de rigor, disciplina, empenho, amizade, partilha, confiança e sobretudo, companheirismo. Estou mesmo contente com o que a secção de Ginástica tem feito com as minhas miúdas de seis anos)

(estão tão crescidas, ai ó pá!!!)

Fotos © True Colors Fotografia