Há pouco, quando as deitava, no final do primeiro dia a seguir a 150 de licença de maternidade:

Eu – Por favor, adormeçam rápido que a mamã está muito cansada.

L – Porquê?

Eu – Porque a mamã voltou ao trabalho e está cansada.

L – Mas porquê?

Eu – A mamã já não trabalhava há algum tempo e foi difícil, foi um bocado difícil.

Silêncio.

L – Choraste?

Eu – Não, filha, não chorei. Só fiquei cansada.

J – Tiveste saudades do mano?

Eu – Sim, tive muitas saudades do mano. E vossas, também tive saudades vossas. E do papá. E da vóvó.

J – Então, tiveste saudades de toda a gente.

L – Querem saber como foi o meu dia? Almocei e lanchei na escola. Brinquei muito, brinquei com os meus amigos todos.

J – E fizeste o mosaico, Laura, lembras? Eu brinquei, mas depois fiquei cansada das pernitas e sentei-me lá num banco. Podes fazer-me cóceguinhas na barriga?

 

E assim terminou o primeiro dia a seguir aos 150.