Sabes, filha, tens agora cinco anos de vida e eu tenho também cinco anos de existência. Porque sinto que existo mais, que sou mais eu, que sou mais completa desde que nasceste. Passei a ser mãe de gémeas quando vieste ao mundo. E fiquei muito mais feliz. A dobrar.

Estás tão crescida, tão diferente. És uma menina feliz e especial. Tens sensibilidade e doçura na tua voz, encanto nas histórias que crias, fantasia nos pensamentos, carinho no toque. Tens magia em tudo o que pensas, estás calma e serena tantas vezes, procuras justiça no mundo e ternura nos amigos. És muitas vezes o meu quentinho e o meu aconchego. Pedes colo muitas vezes e ao mesmo tempo dás-me paz.

Queria proteger-te a toda a hora, deixar-te explorar a natureza de que tanto gostas, todos os dias, dar-te asas para seres confiante. Queria estar contigo em tudo o que aprendes a fazer, queria partilhar todas as tuas conquistas e rumos, queria poder ser sempre a tua melhor amiga. E juntas vamos conseguir. Porque me deixas entrar muitas vezes no teu mundo, porque me ouves e conversas, porque és curiosa e dedicada. Sinto-me tão feliz por ser tua mãe e ter o privilégio de ver crescer uma menina que tem o mundo no olhar.

Nestes cinco anos de fotografias, as tuas feições mudaram muito, já não és bebé, mas irei sempre olhar para ti como daquela primeira vez, em que o maior amor do mundo entrou na minha vida. Estás tão tu, tão única, tão Julinha Fofinha.

Obrigada filha, gosto de ti daqui até à lua, ida e volta.