Estou a começar a fazer a mala para a maternidade.

Não, neste blog não vão haver fotos de conjuntos fofinhos para o garoto (já vos disse que ainda não tem nome???).

Não, esta mãe não vai levar maquilhagem para a maternidade, mas só porque é uma naba do caraças e ia ficar ainda mais pavorosa do que com aquela cor cinzenta que vai ter no pós-parto (devia haver uma maquilhadora em cada maternidade…pronta para subir aos quartos, para dar uma corzinha às mães).

Não, esta mãe não vai levar tudo xpto e mais não sei o quê. Ouvi uma vez que, na primeira vez que se é mãe, vai tudo dobradinho, separado por dias e em saquinhos, tudo cheirozinho, tudo lindo. Da segunda vez, vai tudo junto e na primeira mala que apareça à frente, com restos dos produtos de higiene dos outros filhos. Da terceira vez, vai tudo ao monte num saco do continente, porque não houve tempo para mais. Claro que este retrato é exagerado. Mas anda lá perto, se calhar.

Bom, mas estava ali a escolher a roupa para os primeiros dias do miúdo e lembrei-me imediatamente de uma tradição que não tem nada a ver com a maternidade, mas sim com o casamento.

“Something old, something new, something borrowed and something blue”

Pois que o moranguito vai ter roupa velha das irmãs, roupa nova oferecida pela avó, roupa emprestada dos gémeos da C e muita roupa azul.

Se isto é coisa para dar sorte, então o meu bebé está garantido!

(a preparar o chá do bebé…vejam só, eu, euzinha a fazer um chá do bebé…espreitem lá esta página que é o máximo!)

10557319_302267206610852_1409965877051341251_n