Foi isto que uma filha minha me disse quando um dia estava comigo na casa-de-banho, aliás como tantas vezes acontece, escolhem sempre aquele momento para nos virem dizer uma coisa que não pode esperar, que é tão importante que tem que ser dita naquele altura. E tantas vezes coincide com aquele momento do mês feminino, quando nos vem o período menstrual.

A garota estava ao meu lado, limpei-me, o papel higiénico veio vermelho e ela horrorizada gritou “Mãe, estás a deitar sangue do pipi!!!”. E agora? Como é que explicas isto à tua filha de 6 anos, que não tens nenhuma ferida, que não te vais esvair em sangue, embora pareça, e que aquilo acontece todos os meses?

Disse qualquer coisa para a despachar, consegui distraí-la e safei-me. Não me apeteceu, confesso, explicar-lhe a sina da biologia feminina.

O período dá-me nervos. A primeira vez que nos aparece somos adolescentes ou pré-adolescentes, não estamos preparadas e há-de calhar sempre a um dia de irmos para a praia. Na minha altura, não havia as modernices e inovações de agora em pensos higiénicos; os únicos que havia era umas almofadas gigantes e, mesmo não querendo, andávamos com ar esquisito, porque aquela porcaria incomodava. Mais tarde descobri a vantagem dos tampões, mas mesmo isso também é preciso atinar com o tamanho e forma e o raio. Desculpem os pormenores, mas uma coisa pela qual temos que passar todos os meses durante vários anos da vida, deixa uma pessoa cansada e traumatizada.

Depois, há ali uma altura da vida em que queremos mandar o período à fava, porque de cada vez que aparece, significa que não estamos grávidas e é mais um mês de espera e angústia e, muitas vezes, tristeza. E não me venham dizer que o período é sinónimo de fertilidade que vos lanço com mil e um estudos e casos em que o período é certinho e há uma ovulação linda de morrer, e depois nicles.

Também acontece o contrário, aquela altura em que temos um filho pequeno ou estamos a começar um trabalho novo ou já não temos idade para isso, e desejamos que o período venha certinho para não termos que ir a correr fazer um teste de gravidez, porque tivemos um ligeiro atraso e estamos cheias de medinho.

Assim sendo, a sina da biologia feminina é chata!

Além de que aquilo é uma porcaria pegada, é uma nhanha vermelha langonhosa que dura vários dias seguidos. Nem quero imaginar como era naquela época em que as pessoas acreditavam que não podiam tomar banho quando estavam com o período!!! Que nojo!!!

Sei que estão a pensar “mas podes colocar o DIU e assim deixas de ter o período”. Sim posso, mas para isso tenho que deixar que me coloquem uma cena em forma de âncora nas entranhas! É lixado, pá, uma pessoa até para isto tem que sofrer. E há casos descritos de mulheres que estão tão envolvidas e dominadas pelas hormonas que a falta do período as transtorna, como se fosse um vício…

Claro que me apetece comparar com os homens que decerto estão a pensar “e fazer a barba todos os dias?”. Ai é? E fazer o buço? E os sovacos? E as pernas? E o dedão do pé? E sim, também se pode acabar com os pêlos com depilação definitiva. Mas mais uma vez, com sofrimento, que aquela porra dói, não é assim tão fácil.

Portanto, se eu tivesse criado a mulher, tinha-a feito com um botão de desligar e ligar o período.

Até porque assim evitava ter que ouvir o meu filho de dois anos e meio, que entrou na casa-de-banho e me apanhou a colar o penso higiénico às cuecas, a perguntar-me “mamã, estás a pôr uma fralda?”

 

Enfim…

 

(foto: pinterest)