As cerejinhas são cerejinhas desde o dia em que soube que eram duas meninas. Sou da terra das cerejas, adoro-as e como as cerejas vêm sempre aos pares, achei que tendo a felicidade de ir ser mãe de gémeas, só lhes podia chamar as minhas cerejinhas. Eu própria fui sendo chamada por algumas pessoas de cerejinha. Tudo apontava para isso.
O pai foi logo apelidado por mim de pai cerejo, embora já tenha pensado em atribuir-lhe um fruto vermelho, tipo mirtilo (abrunho não é muito lisonjeador, eheheh).
Quando soube que vinha aí um menino para ser o mano das cerejinhas, já não me fez sentido o nome cerejo. Olhem sei lá, não encontro explicação; aliás, poucas coisas no cerejal são explicáveis. Podia ser o pesseguinho, mas moranguito soava bem e o puto tem mesmo cara de morango delicioso, eheheh.
Agora veio a cadelita (outra coisa sem explicação, como é que nós com um puto de oito meses, trazemos uma cadela para casa??? Ela cruzou-se na nossa vida antes de ir para o canil…e é irresistível). E os nomes possíveis eram betsy, pipoca, lari, lima, chica…tantos. Mas nenhum era um fruto vermelho que ficasse bem no cerejal. É por isso que se chama Ginja…petit nom Ginjinha, Ginja Pipoca de nome completo 😉
Estão explicados os nomes de povo do cerejal, a pedido da nossa querida seguidora Sílvia (respondi?)

image